Banda Euterpe, Portalegre / A Euterpe

O Maestro Carlos Almeida

"Sou uma pessoa que se dedica bastante ao que gosta: música é o que eu gosto e tive a felicidade de nascer e crescer no meio da música tornando muito mais fácil perceber o que queria fazer durante a vida. A música tem muita influência no meu dia-a-dia a ponto de precisar de a ter sempre por perto, independentemente do que esteja a fazer. Comecei a dar os primeiros passos nesta área, com o meu pai, aos 5 anos de idade e a partir daí foi surgindo uma vontade constante de aprender vários instrumentos musicais. Comecei com acordeão, depois trompete, composição e piano e sempre gostei imenso de tocar em bandas filarmónicas e orquestras de sopros.

Enquanto estudava trompete, tive a experiência de poder dirigir uma orquestra e isso despertou em mim sensações novas e indiscritíveis que me fizeram pensar 'Ok, é isto que eu preciso para mim' e até então tenho vindo a trabalhar nesta área que me realiza bastante, juntando agora o facto de poder continuar a fazer o que mais gosto com a banda da minha cidade."

Maestro Carlos Almeida

O convite para assumir o cargo de maestro na Euterpe

O convite para assumir o cargo de maestro na Euterpe de Portalegre surgiu no início do ano de 2018, altura em que começou a ser preparada a saída do anterior maestro, Henrique Ruivo. A felicidade e o entusiasmo foram os sentimentos imediatamente sentidos por Carlos Almeida, que teve nesta proposta a oportunidade de poder fazer aquilo que mais gosta, ainda para mais na banda da sua cidade. Cumpria-se aqui um objetivo que traçara desde cedo: poder mostrar o seu trabalho e dar o seu contributo à banda da cidade que o viu nascer, crescer e dar os primeiros passos na música.

A motivação

Para além de poder fazer música na banda da sua cidade, houve outros motivos que levaram Carlos Almeida a aceitar prontamente e com todo o gosto este desafio. O facto da Euterpe contar com uma equipa extremamente bem estruturada e unida nas suas mais variadas vertentes, foi uma característica que agradou e que, na visão do novo maestro, representa um fator fundamental para o crescimento da banda e da produtividade dos seus músicos.

Futuro

Depois de 15 anos marcados por um trajeto ascendente, o maestro Carlos Almeida pretende que o futuro da Banda Euterpe de Portalegre passe por dar continuidade ao trabalho desenvolvido pelo maestro Henrique Ruivo entre 2003 e 2018, mas com foco na promoção e crescimento da banda a nível musical e interpretativo, mas também social e coletivo, através da implementação de novos projetos e novo repertório.

A aposta nos “músicos da casa” para a formação dos mais novos na Escola/Academia de Música será uma das bandeiras do maestro, que vê desta forma um caminho para uma fácil integração dos alunos na banda e melhor deteção e resolução de eventuais problemas. Na sua visão, esta prática constitui uma motivação extra para os músicos e promove uma melhor e constante ligação entre alunos e professores.

O trabalho em equipa será o forte nos próximos anos, para que o futuro da Banda Euterpe seja promissor e recheado de sucesso.

Biografia

Carlos Almeida, natural de Portalegre, nasceu a 13 de Junho de 1993.

Por ser filho de um músico e conviver com a música todos os dias, levou a que, desde muito cedo surgisse um grande interesse pela mesma. Desta forma começou a frequentar a escola de música do pai aos 5 anos e aos 11 anos entrou para o Conservatório de Portalegre para iniciar os estudos em trompete, onde concluiu o 5º Grau.

Assim, decidido que o que queria para a sua vida era a música, com 15 anos realizou provas de trompete para a EPABI (Escola Profissional De Artes Da Covilhã), entrando para o 10º ano, para a classe do professor Rui Borba. De seguida ingressou na ESART (Escola Superior de Artes Aplicadas) em Castelo Branco onde frequentou durante dois anos a classe de trompete e onde se começou a interessar também pela composição sendo que, atualmente, conta já com várias obras da sua autoria de vários géneros musicais.

No entanto, sentiu a necessidade de alargar o seu caminho na música focando-se no mundo da direção de orquestra. Assim em 2015, iniciou os estudos na Atlantic Coast International Conductig Academy onde estudou Direção Musical de Orquestra de Sopros e Sinfónica com os maestros Luís Clemente e Colin Metters, Aulas de Orquestração e Análise com os professores Roberto Fiore e José Jordán assim como Formação Auditiva com os professores Paulo Maciel e Jaime Branco e Direção Coral com o maestro Jaime Branco.

Participou em estágios de Orquestra Nacional de Sopros em Portel como maestro ativo onde dirigiu várias obras e em 2017 foi convidado para ser maestro do Coro e Orquestra da Universidade da Beira Interior. Nesse mesmo ano, assumiu também o cargo de maestro titular na Banda da Covilhã. Ao longo de todo o seu percurso como trompetista e maestro, participou em diversos masterclasses de trompete e Direcção de Orquestra, estágios de Orquestra Sinfónica e Estágios de Orquestra de Sopros, tocou em várias orquestras de sopros, ligeiras e bandas filarmónicas.

Em agosto de 2018, assume a direção artística da Banda da Sociedade Musical Euterpe de Portalegre e do seu projeto educativo.